6 de mai de 2009

Abandono



sses contos de fadas são muito cruéis... A história do João e Maria, por exemplo, é terrível! Primeiro legitima o assassinato, ou seja, quem é mau deve morrer mesmo, como é o caso da bruxa, depois perdoa os pais que abandonam os filhos... Pelo visto nessa história não tinha nem constituição e nem estatuto da criança!


Nathalie Beghin, 46 anos, economista.

2 comentários:

  1. Não concordo com esta história de constituição e nem estatuto de criança para esta história.O que interessa é que os dois irmãos foram lançados na vida, no caso,entraram em contato direto com o inconsciente,a floresta, para lidarem com seus próprios medos e anseios, elaboraram, e saíram vitoriosos sendo depois acolhidos pelos pais como pequenos heróis que já são capazes de tomar decisões e resolver problemas longe do pai e da mãe.Esta é a única forma de crescer e amadurecer.Sair do triângulo familiar e ser colocado diante do desconhecido, dos mistérios da vida, da morte da maldade, e apostar na capacidade de encontrar soluções para os problemas.Este é o único caminho para tornarem-se mais independentes.Vivemos numa sociedade mimada simbolizada pelos shoppings, sempre acolhedores onde estamos protegidos, mas ali não se cresce, apenas se frustra por não obter algo imediatamente.Shopping significa padrão de qualidade, ali se iguala tudo, nada é feio, sujo ou pobre... mas a vida não é isto!A sociedade envelhece e não amadurece, e teme sofrer perdas,e está despreparada para a diferença.Joãozinho e Maria na floresta vão lidar com tudo isto, claro é uma metáfora.Seria bom este tipo de "abandono" dos pais, quer dizer, estimular o crescimento dos filhos sem sufocá-los pelo excesso de proteção. Muito pior seria colocá-los diante de falsas e perigosas babás como televisões e computadores,muito mais assustadoras e nefastas do que qualquer floresta.A vida não é isto.A vida é luta e conquista, e é muitas vezes, um tiro no escuro.

    ResponderExcluir
  2. É isso mesmo, os contos de fadas são uma construção simbólica para os nossos medos, angústias, desejos e fantasias. Adorei esse comentário. Sugiro a quem acha que os contos de fadas são perversos ou simplificadores ou... que leiam "Psicanálise dos contos de fadas" ou "A sombra nos contos fadas", entre outros. Há professores e pais que evitam colocar seus filhos e alunos em contato com essas histórias, mas não sabem que estão tirando deles uma valiosa oportunidade de elaborar sentimentos, medos, angústias e de harmoniosamente.

    ResponderExcluir