14 de dez de 2009

Os Chuvosos



Quando eu era pequena, sonhava em saltar da janela do avião
para brincar com os moradores do reino das nuvens.
Meu amigo Wilson Bueno me mostrou que não era sonho,
eles existem mesmo!






stes animais,
eu vos convido,
era uma vez.





Gordo e atarracado, todo
cinza, o chuvoso mora dentro
daquelas nuvens, bojudas e
carregadas, nascidas para
virarem chuva mal as rompa o
elétrico serrote de um raio.

Estão sempre se
procurando, uns aos outros, os
chuvosos, dentros das nuvens
que anunciam iminente mau
-tempo.Vivem em núcleos
chamados família.





O pai chuvoso é gordote e
calvo....

A mãe, dona chuvosa, anda
pelo interior da nuvem
batendo seus tamancões e
carregando à frente de si -
para que lhe ilumine o caminho
- um pires com uma vela
espetada no meio.

Seguem a chuvosa mãe
quase sempre quinze
chuvinhas, nunca menos
que isso...
... havendo relatos de casais de
chuvosos com até cinquenta
filhotes-chuvinha.

Mora, como já disse,
dentro da nuvem que daqui a
pouco despejará sobre nosso
telhado humilde, as suas finas
agulhas, o seu chuvaréu, sua
chuvagem e chuvação.





O maior problema no
interior das nuvens onde vivem
os chuvosos são os raios e as
trovoadas.
Os primeiros, pelo que, com
suas chispas, lhes apagam as velas
fazendo-os perder os
chuvinhas de vista...

... as segundas, as trovoadas,
pelo que, irromprendo sem que
ninguém espere, e demorando-se
no céu igual que cordilheiras
implodidas no coração do
vento, esmagam o chuvoso,
dona chuvosa e todos os chuvinhas...

... os quais, mais achatados que
uma pizza, pastéis
esborracham-se no assoalho,
ovos estralados.

Os chuvosos têm muita raiva
dos raios e dos trovões.



O mais lindo nesta história,
contudo, é o dia em que os
Chuvosos sobre a Terra caem...

múltiplos, gasosos,
incessantes, transformados na
névoa que deste lado se vê e
que, feito um encanto, coroa os
postes das madrugadas
bêbadas de neblina...

... e vai pelas frestas das
janelas e sobe à copa do
velho pinheiro e ali fica, halo
gentil que a noite abriga, até
que o primeiro sol da manhã
a dissolva...

numa festa de luz e passarinho.

Wilson Bueno, "Os Chuvosos". São Paulo: Lumme Editor, 2006.

Ilustrações: Colagens de Adriana Peliano sobre desenhos de Francisco dos Santos e fotos de fogos de artifício.

Nenhum comentário:

Postar um comentário