25 de ago de 2010

Little Red Riding Hood




Lewis Carroll, Agnes Grace Held as Little Red Riding Hood, 1857







Henry Peach Robinson, Little Red Riding Hood, 1858


Krista Steinke, What big eyes you have, she said. 2006 - 2008.

Guillermo Mora. Mummy Knows Everything series, 2005.


Guillermo Mora. Mummy Knows Everything series, 2005.


Guillermo Mora. Mummy Knows Everything series, 2005.


Guillermo Mora. Mummy Knows Everything series, 2005.

Miguel Angel Tornero. Caperucita Woolf, 2006.


Adriana Peliano, série passagens, 2010.



Adriana Peliano, série passagens, 2010.

Adriana Peliano, série passagens, 2010.



21 de ago de 2010

Kooky Returns


ere is a trailer for ‘Kooky Returns’ – a film due out later this year. The puppet design is by Jakub Dvorsky, who designed the games – Samarost and Machinarium.

Middle Street school - shadow puppets

Year 1 - February 2009


atherine Grimaldi has been working with Year 1 children on a shadow-puppet project. The children created their own shadow-puppets and plays and wrote about the characters they made. They also watched a Lotte Reiniger shadow-puppet film. Many of Lotte Reiniger's films are viewable on Youtube here











Found HERE

Play HERE


16 de ago de 2010

Um conto de fadas real





ada vez que uma criança diz "eu não acredito em fadas" uma fada morre em algum lugar. (Peter Pan)







13 de ago de 2010

Alice e eu




Adriana Peliano, Alice por enquanto.



A primeira Alice que conheci foi a do desenho da Hannah Barbera. Era uma Alice pós moderna, que ao invés da toca do coelho, caía dentro do aparelho de TV, encontrava Fred Flinstone e andava pela estrada de tijolos amarelos do mágico de Oz. Esse jogo intertextual de cruzamentos de universos ficcionais conduz até hoje meu interesse por Alice, fascinada que sou pelas viagens da menina por outros reinos, como o Sítio do Picapau Amarelo de Monteiro Lobato. Alice de fato conheceu Emília e Narizinho em algumas estórias do autor brasileiro.

leia o artigo


Alice da Hannah Barbera,
a primeira de todas.


Alice e Emília por Jô Oliveira


Aos nove anos ganhei a minha primeira edição de Alice, ilustrada pelo Nicolas Guilbert. Diferente da Alice loira e comportada da Disney, essa Alice era morena e assustada, e me identifiquei logo com ela e seus conflitos em um mundo estranho onde ela tentava encontrar o seu lugar. Aos quinze anos ganhei a edição da Summus, com um complexo prefácio de Sebastião Uchoa Leite que me revelou uma nova Alice sob o prisma da semiótica, da psicanálise e da filosofia.

Alice ilustrada pelo Nicolas Guibert,
meu primeiro livro de Alice.


Tradução e organização de Sebastião Uchôa Leite,
o começo da viagem de pesquisa.


Na década de 90 fui visitar em Brasília, aonde vivia, uma exposição de ilustradores de Alice. Fiquei tão fascinada que decidi que dali pra frente também ilustraria os livros de Alice e embarquei numa viagem nesse mundo fascinante, labiríntico e paradoxal. Ilustrei as duas obras (Aventuras de Alice no país das maravilhas e Através do espelho e o que Alice encontrou lá) com uma técnica inédita, misturando objetos, assemblagens, fotografia e computação gráfica. Essas ilustrações foram mostradas em 98 em Oxford, em Christ Church, universidade onde Carroll trabalhou e viveu, na comemoração do centenário da morte do autor.

Veja as artes de Adriana inspirada em Alice AQUI




Me tornei então membro das Sociedades internacionais dedicadas ao estudo e a divulgação da obra de Lewis Carroll. Naquele momento minha coleção de edições de Alice crescia rapidamente, na medida em que freqüentava sebos e encomendava edições raras de diferentes partes do mundo. Hoje sou membros das Sociedades Lewis Carroll da Inglaterra, dos Estado Unidos e do Japão.







Ano passado decidi criar a Sociedade Lewis Carroll do Brasil para reunir outros alicinados como eu e produzir novas reinações inspiradas na obra do autor. Já fizemos um grande evento multimídia com música, literatura, cinema e artes plásticas. Tenho dado também uma série de palestras sobre a história das ilustrações de Alice e workshops onde as pessoas recriam Alice no imaginário caleidoscópico contemporâneo, através de colagens e livre associações. A Sociedade tem quatro blogs onde publico centenas de informações interessantes sobre o assunto, entre arte, teoria e variedades.

Blogs da Sociedade:










Minha coleção conta atualmente com cerca de 300 items entre livros sobre a vida e a obra de Lewis Carroll, edições de Alice, filmes, brinquedos e objetos curiosos. Tenho algumas edições raras como um facsímile do manuscrito original de Alice numa edição comemorativa com uma linda caixa toda gravada em dourado. Tenho também edições japonesas com ilustrações do artista tcheco Jan Svankmajer, diretor da Alice mais impressionante que já foi criada para o cinema.


Edição facsímile do manuscrito original de Alice.

Poster do filme 'Alice' de Jan Svankmajer.

Meu avô costumava dizer que devemos sempre trabalhar pensando em contribuir com o mundo. Através dessa Sociedade compartilho o meu conhecimento e minhas pesquisas com visitantes de vários países que freqüentam os blogs e me escrevem pedindo referências e informações. Tento com isso fugir de uma atitude egoísta e ciumenta em relação ao conhecimento e aos meus "bens preciosos", oferecendo ao mundo um pouco do meu mundo através de uma série de iniciativas e atividades que invento a todo momento.








Fotos: Paulo Beto



7 de ago de 2010

A B C da chapeuzinho





(...)